A história da industrialização no Brasil

Gostou? compartilhe!

A história da industrialização no Brasil
Clique na imagem para ampliar.

A história da industrialização no Brasil

Se comparada aos países europeus, a industrialização no Brasil é considerada tardia, com início apenas no século XX, quase duzentos anos depois da industrialização de países europeus.

Enquanto a Inglaterra vivenciava a Primeira Revolução Industrial, o Brasil ainda vivia sob o regime colonial e escravista.

Apenas entre os anos de 1930 e 1955, na terceira fase da industrialização, que o Brasil recebeu investimentos por parte do governo e da burguesia.

Quando falamos na industrialização do Brasil é importante lembrar que, o processo não aconteceu em nível nacional, a região Sudeste foi a primeira a se desenvolver industrialmente.

Alguns fatores contribuíram para o processo da industrialização nacional, como:

  • Os lucros gerados pela exportação do café, que permitiram investimentos na indústria.
  • Os imigrantes, traziam de seus países, técnicas de fabricação de diversos produtos.
  • A formação de uma classe média consumidora.

Atualmente, a indústria tem um papel importante no desenvolvimento da economia brasileira.

Continue a leitura e saiba mais sobre a história da industrialização no Brasil!

As fases da industrialização no Brasil

O processo de industrialização no Brasil pode ser dividido em quatro períodos.

Primeiro período – 1500 a 1808

Nesse período, o Brasil sendo colônia de Portugal, ainda não se falava em indústria no país, e os processos industriais possuíam restrições. O que existia era uma produção tradicional e com uso de mão-de-obra.

Segundo período – 1808 a 1930

Podemos considerar que o segundo período da industrialização no Brasil aconteceu entre os anos de 1808 e 1930, com a implantação de algumas indústrias.

Os critérios da política econômica para as colônias eram ditos pela Metrópole, com isso, era comum políticas de estímulo ou restrição, de acordo com os interesses ou necessidades de acordos comerciais.

Em 1844, o valor da taxa para produtos importados subiu para 60%, e nesse momento a Lei Alves Branco foi criada. Com isso, investir no setor industrial era algo promissor para a burguesia brasileira.

A produção cafeeira entrou em declínio, e fortes investimentos foram feitos no setor industrial, como maquinários, transportes e portos brasileiros.

As primeiras indústrias do país estavam ligadas à extração mineral, produção de calçados, tecidos e alimentos.

Terceiro período – 1930 a 1955

No terceiro período da industrialização brasileira, empresas privadas e o governo fizeram grandes investimentos, além de políticas públicas criadas para estimular um completo e eficiente desenvolvimento industrial.

Muitos avanços foram vistos no setor do transporte, com aberturas de ferrovias e rodovias, desenvolvimento do setor energético e de logística. Entre os anos de 1942 e 1947 foi instalada a Companhia Siderúrgica Nacional, que ajudou na oferta de matéria-prima para a indústria.

Quarto período – 1955 até os dias atuais

Essa fase da industrialização foi marcada pelos projetos políticos do governo do presidente Juscelino Kubitschek (1956-1961), que estimulou a abertura econômica do país para empresas multinacionais, abertura de novas empresas de diversos segmentos, incentivando o consumo, o consumismo e a competitividade interna e externa.

A partir desse momento, o Brasil conheceu o mercado de consumo externo e integrou-se aos processos de exportação e comércio global.

Infelizmente, alguns setores não receberam os devidos investimentos, como o de tecnologia, fazendo com que o país fosse dependente de outras economias.

Na década de 90 o país teve um forte crescimento econômico, resultando no aumento do Produto Interno Bruto (PIB), e consequente melhoria na qualidade de vida da população e aumento do consumo.

A importância da indústria para a sociedade

O setor industrial é considerado essencial para economia de qualquer país, pois é através das indústrias que as matérias-primas são extraídas e transformadas nos produtos que consumimos em nosso dia a dia.

Quando um país é industrializado, sua economia tende a ser mais equilibrada.

Com isso, gera mais empregos, renda, e consequentemente o incentivo ao consumo.

Além disso, quando a produção interna é alta e supri a demanda, diminuem as importações e aumentam as exportações.

Podemos destacar os seguintes pontos como as vantagens que a industrialização traz para a sociedade:

  • Gera empregos.
  • Estimula o crescimento da economia.
  • Melhora o padrão de vida das pessoas.
  • Desenvolvimento tecnológico.
  • Aumenta o consumo interno.

Atualmente, o Brasil possui parques industriais sofisticados e competitivos em todo o território, com produção de bens de base, intermediários e de ponta. Setores como o farmacêutico, energético, alimentício, têxtil, agroindustrial, entre outros, são destaques na produção nacional.

De acordo com um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a indústria brasileira ocupa a 16ª posição em participação na produção mundial do setor.

Você pode ler mais sobre esse estudo em “Indústria brasileira é a 16ª no mundo, após figurar entre as 10 maiores até 2014”.

Curiosidade da indústria brasileira

Todo dia 25 de maio é comemorado o Dia da Indústria!

Essa data foi escolhida para homenagear o patrono da indústria nacional, Roberto Simonsen, que faleceu nesta data, no ano de 1948.

Roberto foi engenheiro industrial, grande defensor da industrialização nacional, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Você conhecia essa data?

A Eletrothermo tem orgulho em fazer parte do desenvolvimento da indústria brasileira!

Desde a nossa fundação, em 1988, somos uma empresa reconhecida pelo profissionalismo e inovação, resultando na excelência de nossos produtos.

Estamos sempre investindo em tecnologia e pesquisas para cumprir a nossa missão, que é desenvolver, fabricar e comercializar as melhores soluções em aquecimento industrial, abrangendo várias faixas de emissividade do raio infravermelho, fornos industriais e resistências convencionais, para diversos segmentos da indústria.

Acompanhamos as tendências mundiais de economia, eficiência e reaproveitamento energético, e oferecemos aos nossos clientes suporte dinâmico e atualizado no campo eletrotérmico.

Em nosso site você pode conhecer mais sobre a nossa história e as nossas soluções em aquecimento industrial.

Acompanhe as nossas redes sociais e não fique de fora das novidades!