Plástico biodegradável: o que é e quais são as vantagens?

Gostou? compartilhe!

Plástico biodegradável: o que é e quais são as vantagens?
Clique na imagem para ampliar.

O plástico biodegradável é feito com fontes renováveis, que podem ser de origem natural ou sintética, sendo uma alternativa ao plástico comum, já que pode permanecer menos tempo no meio ambiente.

Um dos mais sérios problemas ambientais enfrentados pelos países em desenvolvimento é a geração de resíduos sólidos urbanos e como são descartados. Entre esses resíduos o plástico está em volume cada vez maior, devido à gestão inadequada deste resíduo, além da incorreta destinação pelas pessoas.

A maior parte dos plásticos ainda não são biodegradáveis.

No post de hoje trouxemos algumas informações sobre essa alternativa, o plástico biodegradável.

Boa leitura! :)

O que é plástico biodegradável?

A biodegradação é um processo de transformações químicas que um material sofre através da ação de microrganismos e sob condições adequadas. E para um material ser considerado biodegradável, é necessário considerar o tempo que ele demora para sofrer a decomposição por microrganismos.

Sendo assim, os plásticos biodegradáveis são produzidos com fontes renováveis, que podem ser de origem animal, como milho, mandioca e beterraba, ou sintética. Eles são uma alternativa mais ecológica ao plástico comum, que é de origem fóssil.

Uma das grandes vantagens oferecidas por essa alternativa é que ficam menos tempo no meio ambiente, podendo ser biodegradável por bactérias, algas e fungos, que os convertem em biomassa, dióxido de carbono e água, com isso não gerando microplásticos.

Mas, para que de fato o plástico seja biodegradável, é preciso que ele seja coletado e encaminhado para uma usina de compostagem. Nesse local, sofrerá ações de microrganismos e em condições favoráveis, se decompõe em até 180 dias.

É muito importante que o plástico biodegradável seja descartado de forma correta, caso contrário oferece os mesmos danos ao meio ambiente quanto aos plásticos comuns.

Os plásticos convencionais, que são de origem petroquímica, levam centenas de anos para se decompor, isto porque os microrganismos ainda não possuem as enzimas necessárias para a sua degradação.

Tipos de plástico biodegradável

Os plásticos biodegradáveis podem ser feitos através de polímeros naturais ou sintéticos.

Entre os naturais podemos destacar:

  • Celulose: que precisa ser modificada para obtenção de filmes e fibras. Exemplos são os acetatos de celulose e a carboximetil celulose (CMC).
  • Amido: encontrado na mandioca, batata-doce, cará, milho, entre outros, aqui não precisa de modificação como a celulose. Sua biodegradabilidade se deve aos átomos de oxigênio presentes na estrutura.

Já entre o plástico sintético podemos destacar os poliésteres.

A biodegradabilidade dos ésteres ocorre pelo fato de serem facilmente hidrolisados, levando à quebra das ligações, além de sofrerem ação da enzima esterease, presente no solo. Entre os principais poliésteres, temos o poliácido lático, PLA, um copolímero do ácido lático e ácido glicólico.

Dentro dos poliésteres, existe a classe dos poli-hidroxialcanoatos (PHA). O Brasil é um grande produtor do poli-hidroxibutirato (PHB), pertencente à família do PHA. Este plástico pode ser um substituto para o polipropileno (PP) na produção de tampas, canetas, brinquedos, potes de alimentos, cosméticos e embalagens de alimentos, entre outros usos.

Imagem de Eletrothermo

Ainda entre os poliésteres, temos o polibutileno de succinato (PBS), que na forma de filmes oferece propriedades semelhantes ao polietileno de baixa densidade (PEBD), além do álcool polivinílico (PVA), o único polímero solúvel em água, tendo exclusivamente átomos de carbono em sua cadeia principal, sendo considerado biodegradável.

Existem alguns plásticos que são chamados de oxibiodegradáveis, mas eles não são biodegradáveis. Neles são inseridos aditivos pró-oxidantes, que quebram os polímeros comuns em compostos de menor massa molar através da ação da luz e do ar. Porém, isso não os torna biodegradáveis.

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) diz que sacolas oxibiodegradáveis devem ser chamadas de oxidegradáveis, já que não são biodegradáveis e sua reciclagem se torna inviável. Em São Paulo a utilização de aditivos oxidegradáveis está proibida na fabricação de sacolas.

Alguns bioplásticos nem sempre são biodegradáveis, pois são feitos por meio da cana-de-açúcar, uma fonte renovável. Mas não são considerados biodegradáveis, pois o etanol obtido da cana é transformado em eteno, para então se transformar no polietileno, um polímero não biodegradável.

Contudo, existem bioplásticos que são de origem fóssil, porém são biodegradáveis, como é o caso do PBAT.

Aplicações do plástico biodegradável

Essa alternativa ao plástico comum pode ser aplicada em diversas indústrias, como:

  • Indústria de embalagens descartáveis;
  • Indústria farmacêutica;
  • Indústria de alimentos;
  • Agronegócio;
  • Entre outras.

Em nosso dia a dia podemos encontrar produtos como pratos e talheres, escovas de dentes, sacolas, embalagens para produtos, entre outros.

Vantagens e desvantagens da utilização do plástico biodegradável

O plástico só é biodegradável se for levado até uma usina industrial de compostagem, que em condições adequadas (luz, umidade, calor e microrganismos) farão a decomposição do material em cerca de 180 dias.

Assim sendo, é preciso que haja conscientização e instrução por parte de toda a população para que esses materiais cheguem ao destino correto.

Já em relação aos custos, o plástico biodegradável é mais caro do que o plástico convencional.

Por ser uma tecnologia em desenvolvimento e utilizada em pequena escala, o bioplástico ainda oferece um custo elevado de produção.

A aceitação e a demanda do plástico biodegradável dependem mais de uma questão de consciência ambiental, legislação e vontade política do que fatores econômicos, tendo em vista as vantagens e benefícios ecológicos e técnicos que eles podem oferecer.

A solução do uso de produtos biodegradáveis e compostáveis têm custos diretos superiores quando comparamos aos plásticos petroquímicos.

No entanto, a correta utilização e descarte dos plásticos biodegradáveis podem trazer diversos benefícios socioeconômicos, como: menor geração de lixo, poluição e menores impactos à saúde e ao meio ambiente.

Que tal começar a repensar no uso e descarte dos plásticos?

Você sabia?

As resistências Eletrothermo são fabricadas com matéria prima de excelência e submetidas a rigorosos testes de qualidade! A utilização delas garante um aquecimento uniforme na fabricação de produtos à base de materiais biodegradáveis, com isso você tem a certeza de um produto acabado de alta qualidade.

Acompanhe o nosso blog e não perca nenhuma novidade!

Caso tenha interesse em saber mais sobre os plásticos, sugerimos a leitura do post: Você sabe como os plásticos são classificados e quais podem ser reciclados?

Até a próxima! :)